Category Archives: artigos

09set/20

Como evoluir do multicanal para a multiexperiência

Em muitos aspectos, a evolução do multicanal para a multiexperiência ocorre paralelamente à digitalização do mundo moderno. Antes da década de 1990, o multicanal, de uma perspectiva de varejo, significava vender produtos por meio de um número limitado de canais – na loja, por meio de um catálogo ou de vendedores porta a porta. Hoje há uma variedade vertiginosa de pontos de contato do varejista com o cliente, da loja a aplicativos móveis, redes sociais e muito mais. E não é só no varejo. A pandemia de Covid-19 obrigou todos os setores a reavaliar sua interação com os clientes. Garantir uma experiência perfeita e sem falhas requer infraestruturas de TI que possam suportar interações em tempo real entre pessoas, aplicações, dados e clouds na edge.

Definição da ascensão de diversos canais

Tecnologias digitais como cloud, mobilidade, redes sociais, inteligência artificial (IA) e a internet das coisas (IoT) abriram caminho para que as organizações alcancem seus clientes de várias maneiras. E, à medida que essas tecnologias evoluem, o foco está mudando do canal (de dentro para fora) para a experiência (de fora para dentro). Nas palavras do empresário e jornalista de tecnologia Taylor Davidson, “a melhor tecnologia fica em segundo plano, porque as pessoas não se importam com tecnologia, elas se preocupam com o que ela faz”. Ao mesmo tempo, elas esperam uma experiência rápida e sem dificuldades. Uma resposta lenta da aplicação pode levá-las a procurar em outro lugar porque “lentidão é a nova frustração”. De fato, de acordo com uma pesquisa da Microsoft, o tempo médio de atenção humana caiu de 12 segundos para cerca de oito segundos.

Com isso em mente, vamos dar uma olhada na progressão do multicanal para a multiexperiência:

Multicanal

Concentra-se em vários canais para alcançar os clientes, como localização física, site, compra por catálogo, redes sociais etc., que são normalmente agrupados e gerenciados de forma independente. Por exemplo, as lojas têm seu próprio inventário separado do site e, ocasionalmente, itens comprados online não podem ser devolvidos na loja. Ou cliques nas redes sociais não são rastreados para vendas no site.

Omnicanal

Concentra-se não apenas em ter vários canais, mas também em conectá-los para trabalhar juntos para uma melhor percepção e experiência do cliente. Isso significa que, se o cliente mudar de canal, suas informações vão com ele para proporcionar uma experiência mais personalizada. O omnicanal também amplia a ideia de canal além de destinos físicos e digitais para incluir formatos de experiência emergentes, como realidade aumentada e virtual (RA/RV). Para que o omnicanal funcione, as organizações devem integrar informações de clientes e inventários para trabalhar em todos os canais.

Multiexperiência

Foi citada pelo Gartner no “Top 10 Strategic Technology Trends for 2020” e é definida como a substituição de pessoas instruídas pela tecnologia por tecnologia instruída por pessoas. Nessa tendência, a ideia tradicional de um computador evolui de um único ponto de interação para incluir interfaces multisensoriais e multitoque, como wearables e sensores de computador avançados.

Como projetar para um mundo multiexperiência

Passar do multicanal para a multiexperiência não é tarefa fácil. Vai além de integrar dados de diversos canais para garantir que a experiência do usuário seja excelente e consistente, independentemente de quando, onde e como a interação ocorre. O OutSystems descreve a multiexperiência como uma mudança de foco de canais (de dentro para fora) para a experiência do cliente (de fora para dentro) e observa três características que devem ser consideradas ao se projetar para um mundo multiexperiência:

Ser natural para o dispositivo e modalidade de interação – a experiência precisa atender a cada dispositivo e ponto de contato de uma forma que pareça natural.

Habilitar uma troca perfeita entre pontos de contato – por exemplo, você está assistindo a um filme da Netflix em sua Smart TV e interrompe o filme para ir a uma consulta médica. Você pode então continuar de onde parou no seu smartphone na sala de espera.

Ser consistente, não importa o ponto de contato – os pontos de contato digitais da marca devem ser percebidos e se comportar de maneira consistente, independentemente do dispositivo ou método de interação.

Essa abordagem de design é como usar peças de LEGO independentes de ponto de contato ou “micro-tarefas” que podem ser reutilizadas e combinadas para compor uma jornada do cliente multiexperiência. Cada peça pode ser reutilizada em diferentes pontos de contato, em diferentes modalidades, carregando sua própria interface, comportamento, lógica e/ou dados do usuário. Uma “micro-tarefa” de pagar com um cartão de crédito em um site poderia então ser combinada em uma tarefa maior, como pedir o jantar e dividir a conta em uma aplicação móvel.

Visualizando um futuro multiexperiência

Embora algumas empresas tenham feito incursões em direção a uma estratégia de multiexperiência, as preocupações generalizadas sobre a privacidade dos dados retardaram o progresso. Mas a pandemia está começando a derrubar essas barreiras à medida que governos, empresas e organizações são cada vez mais obrigados a fornecer seus produtos e serviços por meio de experiências digitais socialmente distantes.

Por exemplo, já que estamos presos em casa hoje em dia, decidi realizar um projeto de reforma da casa que queria fazer há algum tempo. Como parte desse projeto, planejamos comprar alguns móveis novos de uma loja que tem experiências incríveis na loja física. Pensamos que pedir no site deles seria tão interessante quanto, mas não foi. Foi difícil encomendar pelo site, os produtos demoraram muito para chegar e estavam mal identificados quando os recebemos, o que diminuiu nossa percepção sobre essa empresa.

Em contraste com nossa experiência de compra de móveis, estamos vendo muitos restaurantes locais e outros varejistas terem grande sucesso em se adaptar rapidamente ao pedido móvel com retirada, entrega ou drive-thru, bem como a integração com aplicativos de entrega.

Por que a interconexão é um bloco de montar fundamental

Todas essas tendências ressaltam o fato de que os clientes esperam uma experiência de qualidade, conveniente e agradável, independentemente de como, onde ou quando precisam de um produto ou serviço. Eles não se importam com o canal. Fornecer esse tipo de experiência depende da troca rápida e segura de dados entre empresas, usuários, ecossistemas digitais e provedores de TI. Ao utilizar uma abordagem baseada em interconexão, as organizações podem integrar e trocar dados com parceiros com segurança e aproveitar percepções mais detalhadas para fornecer multiexperiências mais rápidas, confiáveis e personalizadas. A interconexão melhora a performance e o tempo de resposta, ajudando a criar o tipo de multiexperiência que manterá a atenção do usuário no mundo de déficit de atenção digital de hoje.

*Herbert J. Preuss é Senior Solutions Architect na Equinix

fonte: https://administradores.com.br/noticias/como-evoluir-do-multicanal-para-a-multiexperi%C3%AAncia

09set/20

Conheça quatro ferramentas que são essenciais para a gestão do seu negócio

CHA, SWOT, 5W2H e PDCA: entenda as vantagens de cada uma

Há quatro ferramentas extremamente importantes para qualquer tipo de negócio, sendo que uma delas é composta por conhecimento, habilidade e atitude, mais conhecida como CHA. É a interseção desses três comportamentos que geram o sucesso profissional, por isso se faz necessário ter conhecimento e a prática do negócio, não apenas saber dirigir. E além de todos esses itens, se não houver vontade de querer realizar, nada vai para frente.

A segunda que eu vou indicar é a análise SWOT, um quadro em que são colocados os pontos fortes, as oportunidades, pontos fracos e ameaças. No primeiro ponto, é importante destacar quais são as características relevantes da sua empresa que podem posicioná-la no mercado competitivo de forma que fique em evidência. Já as oportunidades, são questões em que não se pode controlar, porque são fatores externos que as determinam. Também é necessário colocar na ponta do lápis os pontos fracos, sem medo ou receio, pois é essencial identificar os gargalos do negócio. Por último, as ameaças, os riscos que podem ser enfrentados.

As oportunidades e ameaças são variáveis incontroláveis do cenário, já os pontos fortes e fracos são mutáveis e podem ser alterados de acordo com a gestão. As fraquezas precisam ser estudadas para que se tornem pontos fortes, e as ameaças analisadas para a criação de estratégias. Enquanto isso, muitas pessoas deixam de enxergar as oportunidades, essenciais para a evolução.

Para saber mais sobre esse assunto, um bom livro que posso recomendar é O jeito Harvard de ser feliz. Uma das discussões trazidas nele é a seguinte: quem tem sucesso é feliz, ou quem é feliz tem sucesso? Fazer esse questionamento também pode ajudar em todo o processo.

A terceira ferramenta é chamada de 5W2H, que auxilia na execução tarefas que nos propomos a realizar, seja melhorar a gestão financeira, captar mais clientes, treinar a equipe etc. Essa organização permite criar um passo a passo de como essa iniciativa será implementada.

Os 5W são compostos das seguintes questões: o que, quem, quando, onde e porquê. Vamos supor que a tarefa é relacionada a gestão financeira (o que?), o executor será o gerente (quem?) e ele vai fazer o processo no escritório (onde?), já o prazo é determinado tendo em mente que necessário ter um começo, meio e fim (quando?) e, por último, é preciso ter uma razão para fazer essa tarefa (porquê?).

Após concluir os 5 W’s, passamos aos 2H’s, que é onde será dissecado como esse processo será executado e qual será o custo dele. Quando se fala nisso, o primeiro pensamento que passa pela cabeça é relacionado a dinheiro, mas não é somente sobre isso, na realidade existem outros custos que nos impedem de realizar determinadas ações. Alguns livros relatam, e geralmente é verdade, que dois dos maiores esforços atualmente são o tempo e a atenção. Esses são artigos de luxo, porque as pessoas dificilmente dispõem por conta de grande concorrência de informação nos dias de hoje.

Vale lembrar também que todas as responsabilidades que são delegadas precisam de controle, não se trata de fiscalização, mas sim acompanhar os processos na intenção de melhorá-los.

A quarta e última ferramenta chama-se PDCA (plan, do, check e action). Essa é uma técnica que ajuda a gerenciar e comparar o planejamento e os resultados, além de verificar se esses estão coerentes com o plano proposto e, com isso, determinar qual será a ação realizada. Do contrário, é necessário retomar o planejamento para saber quais etapas precisam ser alteradas.

Independentemente da ferramenta que mais lhe agrada, o primeiro passo sempre será estabelecer metas e métodos para chegar ao objetivo final. Em seguida, é necessário treinar e executar o que precisa ser feito, para então checar os resultados e as metas alcançadas. Por último vem a ação, que pode ou não ser corretiva, dependendo dos resultados.

Conhecendo essas ferramentas, é possível fazer análises precisas de como melhorar os resultados da sua empresa, com base em informações que estão disponíveis interna e externamente.

fonte: https://administradores.com.br/artigos/conhe%C3%A7a-quatro-ferramentas-que-s%C3%A3o-essenciais-para-a-gest%C3%A3o-do-seu-neg%C3%B3cio

09set/20

Já usou a empatia para prospectar e fidelizar clientes?

A empatia é uma ferramenta poderosa e poderá ajudá-lo a obter melhores resultados em sua empresa, tanto na captação de novos clientes como na fidelização dos atuais.

A empatia é uma ferramenta poderosa e poderá ajudá-lo a obter melhores resultados em sua empresa, tanto na captação de novos clientes como na fidelização dos atuais. Você construirá relações verdadeiras e de confiança com seus clientes.

Importante você saber que dentre dois profissionais igualmente competentes tecnicamente, a probabilidade de o cliente escolher o mais empático é muito maior.

Se você ainda não possui essa aptidão está na hora de investir no seu desenvolvimento pessoal para aplicá-la.

A empatia está elencada como uma inteligência interpessoal e é a aptidão de se colocar no lugar do outro, de penetrar em seus sentimentos, sentir suas emoções e a motivação que emoldura sua vida. Permite que enxerguemos o outro como ele é, isento de nossas impressões e julgamentos.

De todas as características da empatia a que gera maior resultado para os profissionais é a escuta empática, que é mais que uma escuta ativa pois interpreta o significado físico e emocional transmitido pelo outro.

A premissa para você desenvolver a empatia é estar disposto a adotar algumas atitudes e se comprometer com a prática constante.

Algumas condutas características da escuta empática:

1) Reconhecer as necessidades do seu cliente ampliando a capacidade de entender a comunicação não verbal (físico e emocional);

2) Escutar atentamente seu cliente. Esteja presente enquanto se comunica com ele. Não realizar outras atividades, tais quais, responder e-mails, atender ligações, enviar mensagens ou analisar documentos;

3) Fazer perguntas que encorajam o seu cliente a falar sobre suas dores, medos e aflições, sem julgamentos;

4) Mostrar-se verdadeiramente interessado fazendo perguntas, ouvindo, não julgando e confirmando com a cabeça enquanto ela fala, demonstrando que está compreendendo o que ele diz;

5) Demonstrar sua preocupação com o seu cliente querendo saber de forma autêntica sobre a sua vida profissional e pessoal.

Agora, sugiro que tente imaginar-se num atendimento de um potencial cliente adotando a escuta empática. No transcorrer da reunião você ouvirá atentamente seu cliente, tomará notas, fará perguntas que demonstrarão seu interesse, incentivando-o a falar mais sobre seus problemas, sem julgamentos. Aproveitando todos os momentos para se conectar com ele.

Ao final da reunião, o seu potencial cliente vai se sentir acolhido e terá a percepção que você entende todas as suas preocupações e dores, e que é um PARCEIRO. Estes sentimentos facilitará a contratação de sua empresa.

Na fidelização você poderá demostrar a sua aptidão da escuta empática, mantendo contatos regulares com seus clientes, através de telefonemas, visitas, reuniões com o intuito de contribuir de alguma forma, ouvindo preocupações, levando novas estratégias, atualizações etc. Estas ações com certeza fortaleceram a parceria comercial e criarão um vínculo de confiança.

Lembre-se de sempre manter uma comunicação clara, demonstrar preocupação verdadeira com os negócios do seu cliente e estar sempre disponível para ouvi-lo e atendê-lo.

fonte: https://administradores.com.br/artigos/j%C3%A1-usou-a-empatia-para-prospectar-e-fidelizar-clientes

09set/20

Entenda o que são tecnologias exponenciais e quais as principais tendências dos negócios

As tecnologias exponenciais são aplicáveis em qualquer área, em âmbito corporativo ou social, no setor público ou privado, para melhorar aspectos relacionados à saúde, mobilidade, educação e segurança, por exemplo

Tecnologias exponenciais são soluções com enorme potencial de impactar as pessoas e o modo como elas vivem. São produtos ou serviços mais eficientes que as alternativas já em funcionamento e permitem a evolução de todo o contexto em que estão inseridas em longo prazo.

Essa evolução é explicada pela Lei de Moore, cujo nome foi recebido pelo cofundador da Intel, Gordon Moore, que observou a tendência história de duplicação do poder computacional a cada dois anos.

As tecnologias exponenciais são aplicáveis em qualquer área, em âmbito corporativo ou social, no setor público ou privado, para melhorar aspectos relacionados à saúde, mobilidade, educação e segurança, por exemplo. Neste artigo, apresentamos alguns exemplos de tecnologias exponenciais que impulsionam a transformação digital nas empresas. Confira!

Blockchain

O blockchain foi usado primeiramente em transações financeiras com criptomoedas. A tendência para os próximos anos será o uso dessa tecnologia exponencial em processos estratégicos da cadeia de suprimentos, gestão eletrônica de documentos, serviços de manufatura, segurança digital e procedimentos financeiros.

Isso, porque o blockchain garante total confidencialidade aos dados e reduz os esforços despendidos em atividades de rotina, o que reforça a confiança dos usuários em procedimentos digitalizados.

Internet das Coisas

Embora o conceito da Internet das Coisas já tenha alcançado alguns setores do varejo e os processos na gestão da cadeia de suprimentos de algumas gigantes do segmento, onde os ganhos são significativos e justificam o alto investimento em tecnologia e recursos de rede (5G), muitas empresas ainda não compreendem a disrupção desse advento.

Dispositivos de hardware e softwares habilitados a atuarem por meio da IOT poderão atingir um nível máximo de eficiência, suportado pela automatização total dos processos e integração entre sistemas operacionais e gerenciais.

A infraestrutura será formada por sensores, dispositivos vestíveis, assistentes inteligentes, máquinas e equipamentos completamente inovadoras que, por meio do alto processamento de dados, Inteligência Artificial e machine learning, exercerão atividades rotineiras e repetitivas com muito mais eficácia que os humanos e a infraestrutura que conhecemos.

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial, é um avanço tecnológico que permite a simulação da mente humana. Ela vai além da programação convencional e consegue com a análise de enormes bancos de dados tomar decisões de forma autônoma, decidindo qual caminhos seguir de forma racional.

A AI (Inteligencia Artificial) já está implantada por todos os lugares, mesmo que não seja percebido, como por exemplo: no carro autônomo, em sistemas de diversas empresas, em hospitais, e principalmente na rede social, nos anti-virus e nos buscadores da internet.

Biotecnologia

O envelhecimento da população e a descoberta da cura de doenças que interferem na evolução humana — pelo menos a que planejamos, impulsionam pesquisas dedicadas em biotecnologia. O setor também é movimentado pela possibilidade de desenvolvimento de partes do corpo humano que substituem órgãos e tecidos com problemas, possa curar e prevenir doenças genéticas.

Impressão 3D

A impressão 3D é uma tecnologia exponencial com potencial de disrupção muito além do que as pessoas supõem. Além de transformar a maneira como todos os produtos são projetados, testados prototipados e consumidos, a impressão 3D também pode reinventar processos produtivos e da cadeia de suprimentos.

Uma combinação de infraestrutura formada por tecnologias exponenciais baseadas em nuvem, adaptabilidade social, mobilidade e uma de tomada de decisão orientada a dados provocará as transformações que permitirão a revolução 4.0 e a evolução total do contexto em que estamos inseridos.

fonte: https://administradores.com.br/artigos/entenda-o-que-s%C3%A3o-tecnologias-exponenciais-e-quais-as-principais-tend%C3%AAncias-dos-neg%C3%B3cios

09set/20

Microempreendedor fica dispensado de obter alvará de funcionamento

Resolução entrou em vigor nesta terça-feira (1)

A partir desta terça-feira (1º), começa a valer a resolução que permite que microempreendedores individuais (MEI) sejam dispensados de alvará, ato público de liberação de atividades econômicas relativas à categoria. A regra foi aprovada em agosto pelo Comitê para Gestão da Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (CGSIM).

Segundo o Ministério da Economia, a norma é reflexo da Lei de Liberdade Econômica, em vigor desde setembro do ano passado, que visa tornar o ambiente de negócios no país mais simples e menos burocrático.

Após inscrição no Portal do Empreendedor, o candidato a MEI manifestará sua concordância com o conteúdo do Termo de Ciência e Responsabilidade com Efeito de Dispensa de Alvará de Licença de Funcionamento. O documento será emitido eletronicamente e permite o exercício imediato de suas atividades.

As fiscalizações para verificação dos requisitos de dispensa continuarão a ser realizadas, mas o empreendedor não necessitará aguardar a visita dos agentes públicos para abrir a empresa.

Registro e Legalização de PJ

Também entrou em vigor a medida relativa à dispensa de pesquisa prévia de viabilidade locacional, quando a atividade realizada pelo empreendedor for exclusivamente digital. Além disso, a dispensa também valerá para os casos em que o município não responder à consulta de viabilidade de forma automática e quando não for realizada no sistema das Juntas Comerciais.

O colegiado decidiu também pela dispensa da pesquisa prévia de nome para os empresários que optem pela utilização apenas do número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) como nome empresarial. A norma pretende eliminar a possibilidade de coincidência de nome no registro empresarial.

A nova norma possibilita ainda uma coleta única de dados nas Juntas Comerciais, propiciando ao empreendedor agilidade e simplicidade para abertura de empresas em um único portal e de forma totalmente digital.

fonte: https://administradores.com.br/noticias/microempreendedor-fica-dispensado-de-obter-alvar%C3%A1-de-funcionamento

09set/20

O que o terror pode te ensinar sobre o mundo

Para autor, gênero pode nos ajudar a viver melhor

Histórias de terror sempre têm algo em comum: uma boa trama e muita adrenalina, certo? Para muitos, especialmente os que não têm muito conhecimento ou não se identificam com o gênero, o terror pode ser visto como puro entretenimento. Mas AT Sergio, autor pernambucano com predileção pela ficção e pelo terror, quer ajudar a mudar essa percepção.

“O terror, pode, inclusive, ser a porta de entrada dos jovens, que adoram uma aventura, no mundo da leitura”, explica AT. Para ele, a literatura de terror pode ensinar muito, para quem estiver aberto, claro. Ele cita alguns aprendizados que podem acontecer quando decidimos nos aventurar no gênero:

Conviver com a adrenalina

Ah, esse nosso mundo pós-pandemia. Se aprendemos algo, é que temos que estar preparados para o desconhecido e para enfrentar mudanças bruscas, certo? Nesse sentido, o que o terror mais pode nos ensinar é a conviver com a adrenalina. “Sabemos que muitas pessoas preferem vidas pacatas e desejam fervorosamente não ter que mudar, mas isso é impossível na vida, certo?”, questiona AT, que lembra: “se, na vida real, tentamos manter tudo sempre igual, aos menos nas páginas de um livro podemos exercitar a convivência com o inesperado”.

Mediar nossas emoções

Se os livros podem nos ajudar a conviver com o inesperado, podem, também, ensinar a mediar as emoções. Quem nunca leu algo e ficou impactado por um bom tempo? “O terror pode ser muito envolvente e nos tirar, por algum tempo, da realidade. A parte boa é que vai gerar medo, ansiedade, nos ajudar a sentir o coração bater mais forte e, dependendo da história, fazer rir e chorar”, lembra AT, que segue: “é uma forma lúdica, mas que pode ser eficaz, de exercitar e entender as próprias emoções diante da vida”.

A entender melhor o mundo

Por que não? “Na literatura de terror, nos permitimos. Nada precisa ser real, factível, possível. De invasões alienígenas a personagens clássicos, como palhaços e brinquedos assassinos, o que importa é que a história nos transporte para um mundo de fantasia, mas com muito susto, não é mesmo?”. Para AT, essa mistura de situações irreais com sentimentos bem realistas pode ajudar a entender melhor o mundo, como vemos o que é novo, diferente, o que consideramos efetivamente normal, e o que nos causa medo? “Nesse sentido, tudo pode se tornar uma forma de autoconhecimento”, enfatiza ele.

A ler mais, com mais prazer

Como AT bem cita: “muitos jovens, hoje, estão afastados da leitura e tem até mesmo uma certa preguiça de ler. Isso porque estamos na era digital e os games e as redes sociais nos deixaram focados no conteúdo visual e curto”. Ler histórias instigantes, que podem ser curtas, no começo, como contos, e que nos tirem da zona de conforto ou nos façam querer saber como será o final, pode ser a porta de entrada para o mundo incrível da leitura. “Tem muita gente que começa a ler terror e, depois, adere a outros gêneros, também. Pode funcionar para os jovens, que adoram algo diferente, inusitado e que dê aquele frio na barriga, de vez em quando”, confirma ele.

Imagem: istock

fonte: https://administradores.com.br/noticias/o-que-o-terror-pode-te-ensinar-sobre-o-mundo

09set/20

Procon de São Paulo alerta para golpe que faz clonagem do WhatsApp

Golpista envia mensagens para os contatos pedindo dinheiro

Um golpe da clonagem da conta do WhatsApp está fazendo vítimas, alerta o Procon de São Paulo. O golpe acontece da seguinte forma: uma pessoa envia mensagem dizendo ser funcionário de site de compra, o golpista entra em contato e pede que a vítima digite um código de seis números para supostamente ativar um anúncio; esse código é a verificação do WhatsApp e com ele o criminoso consegue clonar a conta do consumidor.

Após a clonagem, o golpista passa a enviar mensagens para os contatos da vitima pedindo dinheiro no nome dela. Na maioria das vezes, o infrator pede dinheiro para parentes e conhecidos, simulando alguma necessidade urgente.

O Procon-SP alerta os consumidores para não enviar o código de seis números. É importante ainda habilitar a “verificação em duas etapas” no WhatsApp: clicando em “configurações”, “conta” e “verificação em duas etapas”.

De acordo com o secretário de defesa do consumidor, Fernando Capez, os golpes pela internet e por redes sociais explodiram nesse momento de pandemia de covid-19. “É preciso que o consumidor desconfie sempre, redobre a atenção e nunca forneça senhas ou sequência de números”, alerta. Caso tenha sido vítima deste golpe, a pessoa deve entrar em contato com support@whatsapp.com e pedir a desativação temporária da conta.

Consequências dos golpes

Segundo o chefe de gabinete do Procon-SP, Guilherme Farid, os principais golpes realizados por WhatsApp envolvem o envio de mensagens com links fraudulentos, seja para encaminhar o consumidor a uma página falsa de um fornecedor, seja para enganar o consumidor para que este forneça o código de acesso ao aplicativo, “oportunidade em que o golpista sequestra todos os dados”, destaca.

“A principal consequência é o prejuízo financeiro causado ao consumidor, no primeiro caso por comprar um produto ou serviço numa página falsa criada por um criminoso que não realizará a entrega: no segundo por ser vítima de extorsão para recuperar o acesso ao seu aplicativo”, completa Farid.

Ainda no caso de obter o acesso ao aplicativo do consumidor, o golpista encaminha a todos os contatos novos links fraudulentos com o objetivo de aumentar o número de vítimas.

Procon dá dicas para evitar golpes:

– Não forneça dados, senhas, códigos etc.;

– Não acredite em ofertas de ajuda, sorteio, dinheiro etc. enviadas pelo WhatsApp, redes sociais, e-mails e não clique nesses links;

-Não confie e não compartilhe links e informações dos quais não tenha certeza da origem;

-Não preencha formulários que não estejam nos sites oficiais;

-Baixe aplicativos apenas das lojas oficiais;

-Em caso de dúvidas ou dificuldades, procure um familiar ou amigo que possa ajudar;

– Utilize antivírus no computador, tablet e smartphone;

– O Procon-SP não pede informações do consumidor e não envia mensagens via WhatsApp; o consumidor deve procurar a instituição pelos canais oficiais.

fonte: https://administradores.com.br/noticias/procon-de-s%C3%A3o-paulo-alerta-para-golpe-que-faz-clonagem-do-whatsapp

05ago/20

O Poema da Prosperidade

Afinal de contas, o que é prosperidade?

Houve um tempo, dentro de cada um de nós, que não era necessário escolher entre duas partes, era possível termos as duas.

Foco no trabalho ou na família?

Foco no dinheiro ou na felicidade?

Fazer o que é certo ou o que precisa ser feito?

Cuidar de nós mesmos ou cuidar dos outros?

Seguir o nosso propósito ou trabalhar para fazer o dinheiro que precisamos?

Dar atenção as coisas materiais ou as espirituais?

Estudar e aprender ou trabalhar e crescer dentro da nossa profissão?

Em que momento que dividimos essas coisas?

Em que momento que decidimos que ter uma não possibilita ter a outra também?

Prosperar, nada mais é, do que integrar nossas partes.

É fazer o trabalho conviver em harmonia com nossa família.

É fazer do dinheiro uma ferramenta poderosa para aumentar nossa felicidade e das pessoas ao nosso redor.

É fazer com que o que precisa ser feito seja o certo a fazer.

É transformar nosso propósito também na ferramenta do nosso sustento.

É perceber que a evolução material e espiritual acontecem juntas.

E que aprendizado, trabalho e evolução são uma única coisa.

É, acima de tudo, nos dar conta de que prosperar é nos unir com cada uma das nossas partes e com o mundo a nossa volta.

Quer prosperar de verdade em cada cantinho da sua vida?

Junte as suas partes.

Quer fazer essa prosperidade andar de mãos dadas com toda a felicidade que você merece?

Faça das suas ações sementes que plantem a prosperidade e a felicidade no mundo ao seu redor.

Una dentro, una fora e você descobrirá que prosperar nada mais é do que o caminho para o Amor.

Só há prosperidade de verdade onde existe Amor.

Sem Amor a prosperidade é construída em bases frágeis.

Em que área da sua vida a prosperidade ainda não chegou?

Talvez esteja no momento de se perguntar se nessa área o Amor já chegou de verdade….

Um grande abraço e até a próxima.

05ago/20

Carteira Nacional de Trânsito: saiba o que é necessário para obter a sua

A nova Carteira Digital de Trânsito (CDT) unifica a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV)

O avanço da tecnologia tem tornado possível que os motoristas brasileiros substituam documentos em papel por versões digitais, hospedadas em aplicativos. Primeiramente, foi a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Depois, o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), o popular “documento do carro”, ganhou sua versão digital. Recentemente, o Governo Federal anunciou a chegada da nova Carteira Digital de Trânsito (CDT), unificando todos esses documentos, que agora podem ser acessados rapidamente pela tela de um smartphone, facilitando a vida dos cidadãos. Veja mais detalhes sobre esta novidade.

O que é a Carteira Digital de Trânsito?

É um aplicativo que contempla as versões digitais da CNH e do documento do carro. O serviço está disponível em todos os 27 estados brasileiros e no Distrito Federal.

Como obter esse serviço?

Para obter a CDT é necessário baixar o aplicativo feito pelo governo (disponível na Play Store e na Apple Store). Para realizar seu cadastro e baixar a CNHe, siga as etapas descritas no site da Serpro:

1. Selecione a opção “Habilitação”, em seguida selecionar “Toque aqui para adicionar a sua CNH”.

2. Não estando habilitado, o usuário deve optar um módulo de autenticação: “Validação pelo celular (Validação Facial), Certificado Digital (Portal de Serviços Denatran) ou Sem Certificado Digital (Validação de balcão do Detran). “O processo com o Certificado Digital é bastante simples, uma vez que ele é a identidade digital do meio eletrônico. Do início ao fim, a solicitação é realizada on-line rapidamente”, explica Leonardo Gonçalves, diretor de Relações Institucionais da Certisign, empresa especializada em identificação digital.

3. Por fim, é necessário baixar o CRVLe.

A CNH e o documento digital do carro já estão disponíveis em todo o Brasil?

Apenas a CNH eletrônica está disponível em todos os estados brasileiros. A versão digital do documento do carro ainda não está disponível aos motoristas dos seguintes estados: Bahia, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, São Paulo e Tocantins. Para acompanhar a liberação/implantação do documento digital do carro em mais estados, basta acessar o site do Denatran.

Todos os motoristas podem solicitar a CDT?

Embora todos os motoristas brasileiros possam fazer o download do aplicativo e a CNH eletrônica esteja disponível em todos os estados, apenas aqueles cujo documento impresso foi emitido a partir de maio de 2017 podem baixar a versão digital. Quem não tiver e quiser usar a CDT terá que tirar a segunda via da Carteira de motorista.

Já tenho a CNH Digital em meu celular. Terei que baixar mais este aplicativo?

Não, basta atualizar o atual e, caso deseje, acrescentar a versão eletrônica do documento do carro.

Há algum custo para obter a CDT?

O aplicativo em si é gratuito. O motorista pagará apenas para obter a primeira ou a segunda via da CNH e do documento digital do carro. As taxas cobradas devem ser consultadas diretamente no Detran de cada estado.

Os documentos da CDT tem validade jurídica?

Sim. Portanto, ela é aceita da mesma forma que os documentos na versão física.

05ago/20

Liberdade de expressão ou receita financeira?

Atitudes revelam mais do que discursos

Nada como um dia depois do outro e as atitudes para conhecermos os propósitos e princípios, não é mesmo? O Facebook, detentor das empresas WhatsApp, Instagram e a que leva seu próprio nome, bem como outras empresas menores que o diga.

Recentemente o discurso mudou rapidamente de tom e o que antes era tido como liberdade de expressão – quiçá o preceito mais forte clamado por todos nos últimos tempos – virou um problema financeiro e a mudança de postura foi radical.

Os fatos são estes: após a morte de George Floyd e todos os protestos oriundos contra racismo e demais pautas nos Estados Unidos e no restante do mundo todo, o Facebook (que lucra milhões de dólares com publicidade), não mudou o tom em nada e continuou aceitando propagandas e divulgações em suas redes consideradas racistas e ofensivas.

Tal atitude gerou críticas de todos os lados, inclusive de seus próprios funcionários que chegaram a fazer um protesto virtual contra estes fatos. Mas nada foi feito, sob o mantra que o Facebook defendia a liberdade de expressão – e, sendo assim, não poderia intervir nos anúncios, que seriam de responsabilidade dos anunciantes.

Bonito e poético, não é mesmo? A liberdade de expressão é maior que qualquer outro direito ou pauta.

Entretanto, tal assertiva foi posta no chão quando inúmeros anunciantes de peso do Facebook resolveram parar de anunciar, já que a empresa não tinha preocupação com conteúdo de suas postagens.

A atitude de Coca Cola, Unilever, Honda, Starbucks entre outras gerou um prejuízo de nada menos que 56 bilhões de dólares no último dia 26 de junho, o que levou o Facebook a mudar de posição.

Agora, ele irá censurar conteúdos sim! Que se “f—“ a liberdade de expressão! Afinal, o próprio dono Zuckerberg perdeu neste posicionamento “equivocado” da sua empresa 7 bilhões de dólares em poucos dias.

Em suma, qual o seu princípio Facebook? Ficam a duvida e o questionamento, para reflexão dos leitores.

Sem deixar de questionar os seus princípios e atitudes, afinal, um dos ensinamentos deste exemplo é que – ao conhecer nossos princípios, propósitos e direcionamento – teremos mais aderência do público.

E não há como olvidar que estamos todos conectados, neste emaranhado de conexões que se chama de mercado, neste mundo pandêmico e sem normas definidas.