All posts by righttime

09abr/18

As 8 fraquezas das quais você precisa se libertar se quiser triunfar

Características e comportamentos são citados por Napoleon Hill no capítulo introdutório de A Lei do Triun

Reprodução
Jim Carrey na animação “Um conto de Natal”

Tenho algumas reservas com a abordagem de Napoleon Hill a respeito do sucesso, pois me parece até aqui tratá-lo unicamente sob a ótica da prosperidade financeira. Eu entendo que é um aspecto bem mais amplo e triunfar está muito mais relacionado com o sentimento de realização do que com a consequência monetária dele. Mas isso que acabei de dizer pode ser uma grande besteira, pelo simples fato de que nunca li de forma integral e contextualizada a obra desse autor diretamente, apenas tive contato com ela de forma fragmentada e através de outros autores. Foi por isso que decidi lê-la e compartilhar aqui com vocês minha própria análise do que está lá, esperando que minhas considerações contribuam para sua própria leitura desses livros futuramente.

Hill tem duas obras principais, pelas quais ficou conhecido: “Quem pensa enriquece” e “A lei do triunfo”. Essa última é fruto de vinte anos de observações e experiências e está organizada com um rigor que, até certo ponto, podemos tratar como científico. Foi por isso que decidi começar a leitura por ela. Nesse livro, Hill se propõe a apresentar 15 leis que, segundo ele, nortearam as vidas de 45 homens bem sucedidos dos EUA, entre os quais estão empresários, políticos, juízes e outras figuras influentes e famosas na história do país, como Henry Ford e Andrew Carnegie.

A lei do triunfo” é uma obra extensa, com mais de 700 páginas. Napoleon Hill levou mais de 20 anos para conclui-la. Portanto, não sou eu que vou tentar resumi-la em um simples artigo. Mas vou buscar conduzir aqui nesta coluna uma rotina de textos sobre o livro, ao passo que eu for progredindo na leitura. E é dessa forma que, nesta publicação de hoje, quero tratar de algo que o autor fala na sua primeira lição, cujo título é “O master mind”. Lá, antes de começar a falar do que se deve fazer para triunfar, ele abordar um aspecto que diz ser crucial: comportamentos dos quais precisamos nos livrar antes de começarmos a caminhada rumo ao destino que escolhermos (essa questão do objetivo é outro ponto importante, mas trataremos dele em outra postagem).

Vamos aos pontos:

Cupidez

O termo é estranho e confesso que fui pesquisar para compreendê-lo. Mas seu significado é bem conhecido e se refere a um tipo de ambição que Napoleon Hill considera desastrosa: a mera cobiça, que leva o indivíduo a abrir mão de qualquer valor moral em nome de alcançar um objetivo qualquer, para satisfação pessoal.

A violência

É outro aspecto que ressalta o compromisso moral de Napoleon Hill na construção de seu manual rumo ao sucesso. Ele entende que nada justifica recorrer à imposição da força – seja física ou de qualquer outra natureza – para impor sua vontade. Mais que indecente, ele considera esse recurso insustentável. Afinal, a verdadeira riqueza não se sustenta em pilares frágeis.

A inveja

Napoleon Hill considera que a inveja não só não ajuda na busca pelo sucesso, como contribui para levar indivíduos à miséria. Por isso, ele considera que esse é outro dos primeiros aspectos dos quais precisamos nos libertar. Querer a vida do outro, achar que o outro tem demais e você de menos, enfim, devotar sua vida em função da de um terceiro pode ser sua grande derrocada.

A desconfiança

Ninguém prospera sozinho – inclusive, Napoleon Hill dedica boas páginas do livro a falar sobre como é importante e de que maneira conseguir engajar outras pessoas em seu propósito e influenciá-las para um bom trabalho. Nesse âmbito, a confiança é fundamental. Se você desconfia até da sombra, dificilmente vai sair do lugar. O principal prejuízo desse comportamento nefasto é este: ele o mantém numa prisão imaginária. Você não vai a lugar nenhum, por não confiar em ninguém.

O espírito de vingança

Esse comportamento e seus prejuízos se aproximação da inveja e da violência. Por um lado, você se devota a provocar um dano a um terceiro. Por outro, coloca sua vida em função desse objetivo. E, como ressalta Napoleon Hill nos capítulos seguintes – inclusive, essa é uma das leis – é preciso ter foco em um objetivo central na vida. Ninguém constrói nada tendo que dividir as atenções com um projeto de vingança.

O egoísmo

Como dissemos, ninguém cresce sozinho. E para conseguir o apoio das outras pessoas você precisa aprender a compartilhar ganhos. Henry Ford muitas vezes é lembrado pelos métodos rígidos de sua linha de montagem, mas – na verdade – ele foi um dos pioneiros na melhoria das condições de trabalho dos operários. Lembre-se de que naquela época as jornadas de trabalho podiam chegar a até 18 horas, não havia férias e até crianças podiam trabalhar legalmente. Os funcionários de Ford recebiam o dobro que os das outras indústrias e trabalhavam apenas as 8 horas que trabalhamos hoje. O resultado foi que sua produção ficou maior e seu faturamento chegou a triplicar. Esse exemplo é a melhor lição para este tópico. Ninguém triunfa querendo tudo para si. Para conquistar é preciso compartilhar.

A tendência para colher onde não se semeou

O chamado “capitalismo de estado”, que conhecemos muito bem aqui no Brasil, pode servir de exemplo para esse ponto. Ninguém precisa de muito esforço, basta uma boa amizade no governo para conseguir faturar alto (quase sempre superfaturando) às custas do dinheiro público. Essa é a lógica dessa prática. Ultimamente, no entanto, temos visto muito adeptos dela na cadeia. Pense bem antes de querer colher onde não semeou. Temos esse exemplo, mas há vários outros. É só você prestar atenção.

O hábito de gastar mais do que se ganha

Hill finaliza esses tópicos introdutórios com esse outro aspecto. Nós brasileiros o conhecemos muito bem. Ganhamos pouco, gastamos muito e vivemos endividados. Gastar menos do que se ganhar, para poupar e prosperar é a lição mais básica, mas muita gente não consegue cumpri-la. Isso de Johnny Depp a você.

O que achei até aqui?

Essas considerações acima são um resumo das minhas primeiras páginas de “A lei do triunfo”. Ainda não li o suficiente para passar um atestado sobre a obra. Mas já tenho algumas primeiras impressões:

  • Napoleon Hill merece pelo menos um voto de confiança. Afinal, dedicou duas décadas a pesquisar pessoas de sucesso antes de publicar o livro.
  • De fato, sua obra tem foco no aspecto financeiro do sucesso. Até aqui, não vejo outros vieses. Portanto, se você busca outras interpretações, visões mais amplas sobre o que é o triunfo, sugiro buscar outras referências, embora – sabendo filtrar – você consiga extrair dessa obra boas lições também.
  • Se você quer ficar rico, esse é o livro que você deve ler. Ele não vai fazer brotar dinheiro na sua conta bancária. Afinal, como dizem por aí, “livros não mudam o mundo. Mas eles mudam pessoas. E pessoas mudam o mundo”. Se essa leitura o ajudar a mudar pelo menos seu próprio mundo, ela já terá sido bastante útil.

Nos encontramos no próximo artigo. Até lá!

P.S.: Para não perderem nenhum texto dessa série sobre “A lei do triunfo”, fique de olho nos canais do Administradores.com. Curta a fanpage do portal e, no botão “Seguindo”, escolha a opção “Ver primeiro”. Assim você dará prioridade às nossas publicações em seu feed. Outra coisa: logo mais abaixo ou lá em cima, perto do meu nome e minha foto, tem um botãozinho verde com o nome “seguir”. Ao clicar nele, você passa a receber uma notificação sempre que eu publicar um novo texto. Para isso, no entanto, você precisa se cadastrar (é rapidinho e gratuito) no Administradores. As notificações vão aparecer em sua área pessoal no portal (sempre que estiver logado) e serão enviadas por e-mail, se você preferir.

Agora sim: até logo!

fonte: http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/as-8-fraquezas-das-quais-voce-precisa-se-libertar-se-quiser-triunfar/102474/

fo

 

22jan/18

Veja a lista de feriados e pontos facultativos em 2018

Os dias de guarda dos credos e religiões não relacionados poderão ser compensados, desde que previamente autorizado pelo responsável pela unidade administrativa de exercício do servidor

iStock

Foi publicada na edição de hoje (26) do Diário Oficial da União portaria que estabelece os dias de feriados nacionais e os pontos facultativos em 2018.

Segundo o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, as datas deverão ser observadas pelos órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo, sem comprometimento das atividades públicas consideradas como serviços essenciais à população.

A portaria estabelece ainda que os dias de guarda dos credos e religiões não relacionados poderão ser compensados, desde que previamente autorizado pelo responsável pela unidade administrativa de exercício do servidor. Os feriados declarados em lei estadual ou municipal serão observados pelas repartições da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional, nas respectivas localidades, acrescentou o ministério.

O ministério diz ainda que não será permitido aos órgãos e entidades integrantes do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal antecipar ponto facultativo em discordância com o que dispõe a portaria.

Veja o calendário:

– 1º de janeiro: Confraternização Universal (feriado nacional)

– 12 de fevereiro: Carnaval (ponto facultativo)

– 13 de fevereiro: Carnaval (ponto facultativo)

– 14 de fevereiro: quarta-feira de cinzas (ponto facultativo até as 14 horas)

– 30 de março: Paixão de Cristo (feriado nacional)

– 21 de abril: Tiradentes (feriado nacional)

– 1º de maio: Dia Mundial do Trabalho (feriado nacional)

– 31 de maio: Corpus Christi (ponto facultativo)

– 7 de setembro: Independência do Brasil (feriado nacional)

– 12 de outubro: Nossa Senhora Aparecida (feriado nacional)

– 28 de outubro: Dia do Servidor Público – art. 236 da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990 (ponto facultativo)

– 2 de novembro: Finados (feriado nacional)

– 15 de novembro: Proclamação da República (feriado nacional)

– 25 de dezembro: Natal (feriado nacional)

fonte: http://www.administradores.com.br/noticias/cotidiano/veja-a-lista-de-feriados-e-pontos-facultativos-em-2018/122800/

15jan/18

Como definir metas e objetivos para conquistar um 2018 mais próspero

Mais um ano chega ao fim e com ele, o momento de começar a organizar um ano novo mais próspero.

iStock

Estamos na reta fim de 2017 e a maioria das pessoas reserva essa época para planejar o próximo ano. Chega o instante em que a fábula do fim de ano e suas lindas promessas têm dois caminhos:

1) Serem corroídas pelas traças que alimentam os sabotadores de sonhos, dia após dia até emendar no próximo fim de ano;

2) Ter definidos metas e objetivos para vencer e realizar seus sonhos.

São inúmeros passos para conseguir êxito nessa empreitada e vou resumir aqui os 5 principais passos para definir os objetivos e metas e assim agendar seu encontro com a prosperidade e riqueza em 2018 e algumas armadilhas que podem ser empecilhos.

A prosperidade é um encontro que precisa ser agendado. Antes de entrarmos nos 5 passos, é fundamental que você compreenda o conceito de prosperidade e como ela está ligada diretamente à espiritualidade e ao risco de uma grande armadilha contra o sucesso de suas realizações. Prosperidade é um estado de espírito alegre, vibrante, aliado à saúde plena e abundância de bens materiais e recursos financeiros.

Compreende que, alinhando a prosperidade, todas as demais áreas estão sendo beneficiadas? Eu trabalho desde 2007 como executiva em desenvolvimento humano e vejo diversos coaches e terapeutas espiritualizados que são profissionais excelentes caírem em algumas armadilhas quando fazem o seu balanço do ano e o planejamento do próximo.

Vou alertar para que você se desvie desses obstáculos. Se esses profissionais soubessem liberar seu fluxo da prosperidade e conciliar a riqueza e abundância material com a sua vida espiritual, poderiam atingir clientes mais comprometidos, fazer mais sucesso e gerar maior impacto no mundo. Somente assim estariam construindo o seu céu na terra, a sua vida divina. Mas elas não conseguem, em parte, porque foram ensinadas que pessoas despertas espiritualmente não podem usufruir do mundo material e continuarem sendo espiritualistas. Você já teve esse tipo de pensamento alguma vez? Já ficou ressonando em sua mente a frase “ricos não vão para o céu”?

Passo 1) Tome consciência e se liberte de crenças limitantes com relação a dinheiro, riqueza, e alinhe sua espiritualidade (independente da religião que escolheu). Inicie anotando o seguinte: Rico é … Dinheiro é … Patrão é … (complete as reticências nas frases com o que vier na sua mente). Faça um detox dessas crenças.

Deixa eu te explicar porque isso pode ser uma GRANDE ARMADILHA. Acontece que a ESPIRITUALIDADE assim como a PROSPERIDADE são um FLUXO, e se você não estiver altamente Próspera financeiramente é um sinal de que você não está tão altamente espiritualizada como você pensa que está. Existe algo nas profundezas da sua mente inconsciente que exclui essa prosperidade como se fosse te proteger de algo. Vamos prosperar, pois, afinal, a prosperidade e o sucesso inspiram muito mais que a vida limitada de recursos materiais que está ligada à escassez.

Passo 2) Descubra se está vivendo do seu Propósito de Vida. Pouco adianta traçar metas se elas te afastam do seu propósito de vida, e algo fundamental é saber que a prosperidade, plenitude e felicidade só conseguem chegar na sua vida quando você vive o propósito e missão da sua alma. Se você vive procurando ser o melhor que consegue ser, entretanto nunca se sente bom o bastante, provavelmente você começará a perceber que não está sendo o que você nasceu para SER e isso está ligado a viver fora do seu propósito de vida. A boa noticia é que agora você pode parar e se reconectar e refletir qual é o seu propósito de vida. Sem neuras, pois entrará muito no plano mental, e não é dessa forma que encontrará o que já está instalado em você. Através da sua inspiração você se reconectará com seu propósito. Faça coisas que te inspirem!

Passo 3) Elabore um planejamento de Intenções com metas claras, específicas e bem definidas e ANOTE. Tudo o que você vê hoje materializado é visto primeiro na mente que intenciona, que sonha e depois realizado. Por isso, tenha clareza daquilo que você deseja, nas áreas, pessoal, profissional, financeira, afetiva, familiar, saúde, qualidade de vida, equilíbrio emocional, aprendizado, relacionamentos interpessoais, espiritualidade, contribuição social, diversão, dentre outras. Anote tudo aquilo que você intenciona alcançar no próximo ano, ou seja, transformar desejos em objetivos e objetivos em metas.

Passo 4) Elabore um plano estratégico para cada área selecionada de forma específica e com datas definidas, pode ser por trimestre, semestre. Exemplo: Se você deseja emagrecer para o próximo ano, ao invés de pensar e anotar emagrecer, veja-se com corpo desejado, na sua mente, escreva “desejo estar mais magra em 7 kg até o dia 20 de abril”. Pergunte-se “o que posso fazer de hoje até o dia X? O que posso fazer a partir de agora para me aproximar dessa meta? O que mais posso fazer?” Faça uma análise de suas forças para conseguir realizar essas metas e faça uma análise das fraquezas, que são importantes para ter consciência e contorná-las. Nada de plano B hein! Como diz um dos meus mestres, o Robert Kyosac “Plano B Fede!”, ele tira seu foco e energia para conquistar o plano A! Use a mesma clareza e especificidade para outras metas.

Passo 5) Comprometa-se com cada meta estabelecida em fazer o seu 100% para conquistá-la e evite procrastinar, afinal, foi você quem a elegeu como importante na sua vida. Se desejar ir mais rápido, busque ajuda de um COACH ou de um MENTOR que já viveu o que deseja viver, para que possa encurtar caminhos. Uma pessoa que se compromete com suas metas sabe muito bem onde deseja chegar e como chegar a cada objetivo traçado e tem suporte é certamente aquela que realizará um 2018 extraordinário.

Então não perca mais tempo. A hora é essa, o momento é o AGORA. Comece agora mesmo a traçar seus objetivos e metas para 2018 ser realmente o primeiro dos melhores anos da sua vida.

fonte: http://www.administradores.com.br/artigos/cotidiano/como-definir-metas-e-objetivos-para-conquistar-um-2018-mais-prospero/108130/

21dez/17

Empregos de fim de ano: sete dicas para aproveitar a época e conquistar uma vaga

Não é só para vagas efetivas que departamentos de RH costumam analisar as redes sociais das pessoas

iStock

A maior sazonalidade empregatícia, no Brasil e no mundo, é o período entre setembro e dezembro. É a famosa época das contratações de fim de ano, que visam atender aos turnos dobrados e triplicados de indústrias, serviços e comércios que funcionam para atender às festas de fim de ano, e aproveitar os gastos com 13º salário.

É uma época de movimentação intensa na economia, o que gera oportunidades. Apesar de nos últimos anos esse ter sido um período bem mais fraco do que o habitual, em 2017 já se espera 374,8 mil contratações em regime temporário. O número é 5,5% maior do que o do mesmo período de 2016. Esse número havia caído muito em 2015 e 2016 devido à recessão que o país enfrenta, porém parece que as coisas tendem a melhorar. O estudo que aponta esses dados é o da Associação Brasileira de Trabalho Temporário, a Asserttem, que reúne 200 agências de emprego.

Há três anos, antes da crise, esses números chegavam a 490 mil vagas. O número ainda está distante de uma época de maior saúde financeira do país, mas está crescendo. A própria melhora da economia, e as mudanças da legislação de trabalhos temporários, que passou a valer em março desse ano, criaram um terreno de confiança para contratações.

De acordo com a nova legislação, há duas grandes mudanças que incentivam a contratação: o aumento no prazo para a contratação de trabalhador temporário; e a autorização para que, na qualidade de tomador de serviços, empresas de qualquer ramo possam contratar, sem vínculo empregatício, trabalhadores terceirizados, mesmo que seja para o exercício de atividades ligadas à sua atividade-fim.

Com o desemprego em níveis elevados, essa tem se mostrado uma excelente hora para se preparar bem e conseguir agarrar aquele emprego que, embora temporário, muitas vezes conta com chances de contratação fixa. Para isso é preciso estar alinhado com as expectativas do mercado e saber lidar bem com entrevistas, preparação de currículos, etc.

Segue algumas dicas do que fazer nesse cenário para conquistar um espaço para você:

Fique de olho no calendário: em outubro, novembro e dezembro começam as altas de busca para o varejo. Em setembro a alta se liga muito à indústria, porém em 2017 essas contratações começaram no fim de julho. Outubro é a época em quem lojas maiores contratam, e em novembro lojas menores tendem a ampliar seu contingente. Estar atento às datas é muito importante, não só para garantir o emprego por mais tempo, mas também para ter mais chances de mostrar serviço e ser contratado como fixo. São de 15% a 20% de pessoas que consegue efetivação. Assim, agora que restam três meses para 2018, foque no varejo.

Olho no contrato: apesar das mudanças da lei, o trabalhador temporário ainda conta com os mesmos direitos do trabalhador efetivo, como férias, hora extra, descanso semanal remunerado. Não é porque é temporário que é bico. Se preocupe com contrato. Em janeiro as oportunidades temporárias tendem a se tornar efetivas, mas faça questão de ter o que é de direito no período do trabalho temporário.

O currículo é a porta de entrada: seja assertivo, curto, objetivo e direto. Cite suas últimas três experiências profissionais, destaque cursos realizados e que tenham a ver com a vaga, além de deixá-lo personalizado à vaga que busca. A NVH Talentos Humanos vai realizar um trabalho de assessoria para construção de currículo no dia 24 de outubro, próximo à estação República da Linha Amarela do metrô de São Paulo. É uma oportunidade gratuita para pegar umas dicas. Há informações no site.

Agências são as melhores para essa época: focar em agências que se especializam em trabalho temporário é útil nessa época do ano. Vale a pena acessar o site do Ministério do Trabalho e verificar o registro da agência para ter certeza de que ela está de acordo com a lei.

O fator humano: para essas vagas geralmente o que mais se busca são requisitos básicos como segundo grau completo, idade entre 18 e 45 anos, simpatia, comunicação clara, trabalho em equipe, e às vezes ter uma indicação é muito bom. Ou seja, o relacionamento interpessoal conta muito. Vale ficar atento e desenvolver essas habilidades, tanto para entrevistas quanto para se destacar nos empregos. As entrevistas contam com muita gente, e são rígidas, então estar atento a tudo e se dedicar a mostrar que consegue desenvolver bem uma venda, por exemplo, é essencial.

Redes sociais também contam: não é só para vagas efetivas que departamentos de RH costumam analisar as redes sociais das pessoas. Ter um perfil que não agrida as pessoas, às marcas, também é importante. Uma loja não vai contratar quem acabou de difamá-la na internet, ou mesmo fez um comentário preconceituoso ou de ódio.

Atenção: olhos atentos são sempre uteis. Andamos o tempo todo por comércios, dos mais simples de bairro até os mais famosos em shoppings. Essa época é fértil. Ficar atento a anúncios de vagas nas portas ajuda a expandir os horizontes de onde deixar currículos conforme se anda pela cidade.

Fernanda Andrade é gerente de R&S, na NVH Talentos Humanos.

fonte: http://www.administradores.com.br/noticias/carreira/empregos-de-fim-de-ano-sete-dicas-para-aproveitar-a-epoca-e-conquistar-uma-vaga/121755/

01dez/17

Unilever Brasil anuncia Programa de Trainee 2018

O programa oferece cerca de 10 vagas nas áreas de marketing, finanças, tecnologia da informação, e customer development

iStock

A Unilever anunciou a abertura do processo seletivo de seu programa de trainee para 2018. A empresa afirma que busca “atrair os jovens talentos que se identificam com os valores da companhia e sejam engajados com temas relevantes para a sociedade – como sustentabilidade, negócios inclusivos e saúde e bem-estar”. O programa oferece cerca de 10 vagas nas áreas de marketing, finanças, tecnologia da informação, e customer development (que engloba sete áreas, entre elas, trade marketing, merchandising e vendas).

Para se candidatar, é preciso concluir ou ter concluído a graduação ou pós-graduação entre 2015 e 2017 e ter disponibilidade para residir fora do seu local de origem.

Com duração média de três anos, o programa é “centrado na construção da capacidade de liderança, no desenvolvimento do pensamento criativo e analítico, na capacidade de trabalhar em equipe e na evolução profissional”. De acordo com a empresa, ao término deste período, os trainees estão prontos para ocupar cargos de gerência e, atualmente, 40% dos diretores e vice-presidentes da Unilever Brasil são ex-trainees.

Processo

Com inscrições entre 1ª e 24 de novembro, as etapas do processo seletivo incluem o uso de inteligência artificial para a identificação de habilidades e perfis comportamentais e jogos digitais em que os candidatos são desafiados a solucionar cases com temas relacionados ao Plano de Sustentabilidade da Unilever. Por meio de uma plataforma digital colaborativa os candidatos trocarão, ao longo de todo o processo, informações e ideias com os demais participantes.

Apenas a última etapa, denominada “Discovery Center” será presencial. Nesta fase, os finalistas vivenciarão por um dia a rotina de quem ocupa cargos de liderança, participando de reuniões de trabalho com os principais executivos da empresa, entre outras atividades.

Os candidatos também recebem, após cada etapa que participam, um retorno sobre as habilidades identificadas, perfil comportamental, pontos fortes e pontos a melhorar. “Os feedbacks são fundamentais para o autoconhecimento do candidato e, mesmo que não seja selecionado, ele finaliza o processo com um entendimento mais profundo sobre as suas aspirações e potencialidades”, afirma Luciana Paganatto, vice-presidente de Recursos Humanos da Unilever Brasil.

As inscrições para o programa podem ser feitas através do site da Unilever. 

fonte: http://www.administradores.com.br/noticias/carreira/unilever-brasil-anuncia-programa-de-trainee-2018/122006/